HC – CRONOLOGIA NO MUNDO



 1864 – Louis Ducos du Hauron patenteia a máquina de filme (1 de março).

 1888 – Roundhay Garden Scene, filmado pelo inventor francês Louis Le Prince, um curta-metragem de 2 segundos de duração, é reconhecido como o primeiro filme da História (14 de outubro).

 1890 – Monkeyshines, No. 1, dirgido por William K.L. Dickson e William Heise, torna-se o primeiro filme estadunidese.

 1892 – Estreia um dos primeiros filmes de animação do mundo, Le Clown et ses chiens (28 de outubro).

 1893 no cinema: Estreia o filme estadunidense Blacksmith Scene (9 de maio).

 1894 – Estreia o filme estadunidense Fred Ott’s Sneeze, dirigido por William K.L. Dickson (9 de janeiro). Estreia o filme estadunidense, Corbett and Courtney Before the Kinetograph, que mostra a partida de boxe, filmada em 14 de junho de mesmo ano (17 de novembro).

 1895 – (28 de dezembro) Os irmãos Auguste Lumière (1862-1954) e Louis Lumière (1864-1948)promovem a primeira sessão pública do cinematógrafo, no Grand Café do Boulevard des Capucines, em Paris, com a exibição de dez filmes, entre eles A Saída dos Operários da Fábrica Lumière.

 1896 – Charles, Émile, Jacques e Thêophile Pathé Frères, tornando-se em seguida um dos maiores impérios da comunicação.
Primeiro close-up um beijo entre John Rice e May Irwin no filme The Kiss, de Thomas Edison (8 de julho) É realizado no Rio de Janeiro a primeira sessão de cinema no Brasil.

  • Estreia o primeiro filme português O Zé Pereira na Romaria de Santo Tirso (10 de novembro).

 1897 – Inaugurada a primeira sala regular de cinema no Brasil, na rua do Ouvidor, no Rio de Janeiro.
Thomas Edison patenteia uma câmera de filme (cinematógrafo) (31 de agosto).

 1898 – Estreia o filme japonês Nuno sarashi (13 de janeiro).

 1898 – (19 de julho) Afonso Segreto roda o primeiro filme brasileiro, chamado a Baía de Guanabara Primeiros filmes com trechos coloridos usando técnica primitiva de sobreposição de película já filmada.

 1899 – King John é a primeira das mais de 200 adaptações cinematográficas de Shakespeare A Eastman Kodak estabelece o formato padão de filme cinematográfico para uso profissional, com 35mm de largura e quatro perfurações ao lado de cada fotograma.

 1902 – O filme Viagem à Lua, de Georges Méliès, introduz a ficção científica no cinema.

  • Como uma experiência, o inglês Edward Raymond Turner produz o primeiro filme a cores, feito entre 1901 e 1902 e que mostra, entre outras coisas, três crianças brincando com girassóis, soldados marchando e aves de estimação, entre elas uma arara. Este filme só foi descoberto 110 anos depois.

 1903 – Edwin S. Porter faz o primeiro filme faroeste, O Grande Roubo do Trem, que apresenta uma sequência colorida na própria película.

 1905 – A bíblia da indústria do entretenimento começa circular (Variety).

 1906 – George Albert Smith cria o Kinemacolor, primeiro processo comercial para filmes coloridos.

 1908 – Estreia o primeiro filme de terror, Dr. Jekyll & Mr. Hyde em Chicago (21 de maio). Lançado um dos primeiros filmes brasileiros, Nhô Anastácio chegou de viagem, de Marc Ferrez (20 de junho).

 1910 – O primeiro filme nacional a trazer um personagem negro é Vida de João Cândido.

 1911 – Lançado Little Nemo, de Winsor McCay, primeira tentativa autêntica de produzir um filme animado com perspectiva e movimento.

 1912 – Carl Laemmle funda a Universidade Pictures

 1913 – Hollywood, uma subdivisão da cidade de Los Angeles, começa a tornar-se o centro da produção cinematográfica dos EUA.

  • Estreia o primeiro filme em série, The Adventures of Kathlyn em Chicago (29 de dezembro).

 1914 – Sai Darktown Jubille, o primeiro filme americano inteiramente realizado por negros.

  • Estreia o segundo filme em cores, The World, the Flesh and the Devil em Londres (9 de abril). Estreia o primeiro filme de comédia mudo, Tillie’s Punctured Romance, com Charles Chaplin (14 de novembro).

 1915 – O Nascimento de Uma Nação de Uma Nação, realizado por D.W.Griffith, é uma apologia do racismo que reúne inovações como uso de panorâmica e montagem alternada. Foi o primeiro filme a romper a barreira dos US$ 10 milhões de bilheteria e a ser exibido na Casa Branca.

  • Estreia um dos filmes da era do cinema mudo, The Birth of a Nation, de D. W. Griffith em Los Angeles, Califórnia (8 de fevereiro).

 1916 – Intolerância, de Griffith, outro filme sobre preconceito, apresenta outras inovações na narrativa cinematográfica. A fusão da Famous Players, criada por Adolph Zukor, em 1912, com a Jesse L. Lasky Feature Playerrs dá origem à Paramount (único estúdio que continua em Hollywood).

 1917 – Criado o Universum Film (UFA), o principal estúdio alemão A Sociedade dos Engenheiros Cinematográficos dos EUA oficializa o 35mm

 1918 – The Sinking of the Lusitania, de Winsor McCay, provavelmente o primeiro longa de animação.

 1919 – Lenin assina decreto nacionalizando o cinema tzarista, primeiro controle do cinema pelo Estado Mary Pickford, Douglas Fairbanks, Chaplin, Willian S.Hart e D.W.Griffith fundam a United Artists Robert Wiene realiza um marco do expressionismo alemão, O Gabinete do Dr.Caligari.

 1921 – 845 filmes norte-americanos são lançados nos cinemas dos EUA.

 1922 – Criada a Motion Picture Producers and Distributors of America, principal instrumento de lobby do cinema nos EUA.

 1923 – Harry, Albert, Jack e Sam Warner fundam a Warner Brothers Walt e Roy Disney fundam a Disney Brothers Studio.

 1924 – A Metro Pictures, de Marcus Loew e Nicholas Schenk, incorpora a Goldwyn Pictures e associa-se a Louis B. Mayer dando origem à Metro-Goldwyn-Mayer, o mais famoso estúdio de Hollywood nos anos 30 Os irmãos Harry e Jack Cohn unem-se a Joseph Brandt para fundar a Columbia.

 1925 – Sergei M.Eisenstein realiza O Encouraçado Potemkin, clássico do cinema político, e coloca em prática suas idéias sobre “montagem das atrações”.

 1926 no cinema: Estreia o primeiro filme sonoro, Don Juan, no Teatro de Warner, New York (5 de agosto).

 1927 – A Fox produz curtas e seu primeiro filme de atualidades utilizando o sistema Movietone, que grava o som diretamente na película. Aurora, de Murnau, é lançado apenas com música O Cantor de Jazz usa o Vitaphone (sistema de sonorização em discos) para utilizar cenas musicais sincronizadas e dois trechos com diálogos Napoleão, de Abel Gance, introduz o sistema de projeção Polyvision, de tela tripla (11 de janeiro) 36 profissionais, entre eles Harold Lloyd e Mary Pickford, fundam a Academia de Artes e Ciência Cinematográfica de Hollywood. Hoje ela tem mais de 5 mil membros.

  • A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (em inglês Academy of Motion Picture Arts and Sciences) é fundada, em Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos (1 de maio). Estreia o primeiro filme totalmente falado da história cinematográfica, The Jazz Singer, com Al Jolson, em Nova York (6 de outubro).

 1928 – Steamboat Willie apresenta o Mickey de Walt Disney e introduz o som sincronizado em desenhos animados Joseph Kennedy e David Sarnoff fundam a RKO.

 1929 – (6 de maio) a Academia realiza a primeira cerimônia de entrega do Oscar a filmes exibidos em Los Angeles de agosto de 1927 a julho de 1928. Asas, de William Wellman, ganha o prêmio de melhor filme Após vários escândalos, os estúdios americanos adotam um “código de produção” moralista, batizado Código Hays Um Cão Andaluz, dirigido por Luiz Buñuel e co-escrito por Salvador Dali, é o marco do surrealismo no cinema.

 1930 – Adhemar Gonzaga funda a Cinédia Hollywood Reporter começa circular.

 1932 – Quatro filmes dividem o Leão de Ouro na primeira edição do festival de Veneza, entre eles A Nous la Liberté, de René Clair (27 de dezembro) Inaugurado o Radio City Music Hall, ainda hoje o maior cinema do mundo, com 5.874 lugares Rouben Mamoulian é precursor no uso do zoom com Ama-me Esta Noite

  • Morre o primeiro animal astro de cinema,Rin-Tin-Tin.

 1933 – O Desertor, de Vsevolod Pudovkin, é um dos precursores no uso do recurso da câmera lenta, numa cena de suicídio.
Estreia o filme Ich und die Kaiserin, de Frederick Hollander, em Berlim (22 de fevereiro).

 1934 – É implantada a autocensura através da Administração do Código de Produção.

  • Estreia o primeiro filme sonoro dos Países Baixos, Willem van Oranje, de Jan Teunissen (4 de janeiro).

 1935 – Surge a 20th Century Fox, à partir da fusão entre a Fox Film Corporation de William Fox e a 20th Century Pictures de Joseph Schenck e Darryl F. Zanuck Vaidade e Beleza, de Rouben Mamoulian, é o primeiro longa inteiramente colorido. Usa o processo Technicolor Mae West é a mais bem paga mulher dos EUA (480 mil dólares no ano) Herbert J. Yates funda a Republic (fechada em 1958).

 1937 – Branca de Neve e os Sete Anões, primeiro longa de Walt Disney, rompe a barreira de US$ 50 milhões de bilheteria. A Cinecittà é fundada em Roma tornando-se o maior complexo do cinema europeu.

 1939 – O ano de ouro de Hollywood:…E o vento levou, O Mágico de Oz, No Tempo das Diligências, Adeus Mr. Chips, Ninotchka, O Morro dos Ventos Uivantes, Gunga Din, A Mulher faz o Homem, Beau Geste, Duas Vidas…

 1941 – Começa funcionar a Atlântida, no Rio de Janeiro, que se especializa em chanchadas e concentra a maior parte da produção nacional Orson Welles realiza Cidadão Kane, inovador pelo uso de profundidade de campo e movimentos de câmera, considerado por muitos como melhor filme de todos os tempos John Huston lança Relíquia Macabra, o primeiro clássico do film noir.

 1942 – Mowgli, o menino Lobo, de Zoltan Korda, é o primeiro filme a ter sua trilha sonora (composta por Miklos Rozsa) lançada comercialmente.

  • Estreia o filme antinazista To Be or Not To Be, de Ernst Lubitisch, em Los Angeles (6 de março).

 1945 – Robert Rossellini dirige e Federico Fellini co-escreve o marco inicial do neo-realismo italiano, Roma, Cidade Aberta.

 1946 – Primeiro Festival de Cannes. A Batalha dos Trilhos, de René Clément ganha o Grand Prix.

 1948 – Filmado Ladrão de Bicicleta por Vittotio De Sicca, um marco do cinema neo-realista.

  • A Palma de Ouro passa ser o principal prêmio do Festival de Cannes.

 1952 – Estreia o primeiro filme 3D em cores, Bwana Devil (30 de novembro).

 1956 – A primeira edição do Festiva de Berlim premia com o Urso de Ouro, Convite à Dança, de Gene Kelly.

  • Abel Gance cria outro sistema de projeção tripla, o Magirama.

 1959 – O filme Ben-Hur, de William Wyler, recebe onze estatuetas da Academia.

  • O movimento francês da Nouvelle Vague entre em campo com Os incompreendidos, de Truffaut; Hiroshima, Meu Amor, de Alain Resnais e Acossado, de Godard.

 1961 – O Passado me Condena, com Dirk Bogarde, é a primeira produção classe A em língua inglesa a falar abertamente de homossexualismo.

  • Jerry Lewis usa o videotape para controlar movimentos de atores e câmera em O Terror das Mulheres.

 1962 – O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte, ganha a Palma de Ouro no Festival de Cannes.

  • O Satânico Dr. No inicia a mais bem-sucedida série da história do cinema.

  • A Universidade é vendida para a agência de talentos MCA da qual Hitchock tem participação.

 1963 – Cleópata, de Joseph L. Mankiewicz, custou US$ 44 milhões, o mais caro filme da história.

 1964 – Os dois grandes filmes do Cinema Novo Brasileiro chegam as telas: Vidas Secas, de Nelson Pereira dos Santos, e Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha.

 1965 – Glauber Rocha publica o manifesto “Estética da Fome”, divisor de águas do cinema brasileiro.

 1967 – A superprodução soviética Guerra e Paz tem custo superior a US$ 100 milhões.

 1968 – 2001, uma Odisséia no Espaço, um marco da ficção científica e do cinema moderno.

  • O sistema classificatório de filmes por idade substitui o Código Hays.

 1970 – A Paramount e a Universal fundam empresa de distribuição para atuar no exterior, a Cinema International Corporation (CIC)

  • Estreia o filme do grupo inglês The Beatles, Let it Be (13 de maio). Estreia o filme Let it Be no Reino Unido (20 de maio).

 1971 – Stanley Kubrick gera polêmica em todo o mundo ao adaptar o romance Laranja Mecânica, de Anthony Burgess, sobre a violência de uma sociedade futurista. O filme é censurado em vários países, inclusive o Brasil.

 1972 – O Poderoso Chefão, de Francis Ford Coppola, inaugura a fase arrassa-quarteirão no cinema americano, ou a fita é um grande sucesso, ou não é nada.

 1975 – Tubarão, filme de Steven Spielberg, rompe a barreira de US$ 100 milhões de bilheteria. É a produção estrangeira de maior público no Brasil com 13 milhões de espectadores.

  • A Indústrial Light & Magic, gigante dos efeitos especiais, é criada como um pequeno grupo dedicado a criar truques visuais para o filme Guerra nas Estrelas, de George Lucas.

 1976 – Dona Flor e seus Dois Maridos, de Bruno Barreto, visto por 10,7 milhões de espectadores, é o maior sucesso de público do cinema nacional.
Blound for Glory é o primeiro filme a usar Steadicam, sistema criado por Garret Brown, que permite filmar levando a câmera na mão, com imagem estabilizada. O recurso foi notabilizado por Stanley Kubrick, em O Iluminado.

  • O som Dolby Stereo chega ao cinema.

  • O Império dos Sentidos, de Nagisa Oshima, é o primeiro filme “sério” com cenas de sexo explícito.

  • Brian De Palma filma o clássico de Stephen King, Carrie (Carrie, a Estranha), com Sissy Spacek no papel principal.

  • Martin Scorsese e Robert De Niro concretizam parceria de sucesso com Taxi Driver (Motorista de Taxi), com Jodie Foster, indicado a 4 Oscars.

  • Ano também do grande sucesso, ganhador do Oscar: Rocky, Um Lutador com Sylvester Stallone e Talia Shire.

  • Nesse ano também ocorreu a primeira vez em que um ator ganha um oscar póstumo Peter Finch por Network (Rede de Intrigas).

 1977 – Tem início a popularização do vídeo como veículo para o cinema.

  • Guerra nas Estrelas, de George Lucas, é um marco absoluto no desenvolvimento dos efeitos especiais e é o novo recordista de bilheteria.

  • Woody Allen ganha respeito com Annie Hall (Noivo Neurótico, Noiva Nervosa) e vence o Oscar de Melhor Filme .

 1978 – Christopher Reeve foi a maior revelação do ano ao protagonizar Superman (Superman – O Filme)
Halloween é lançado, se tornando um clássico do horror, e um dos filmes mais respeitados de todos os tempos.
John Travolta e Olívia Newton-John no sucesso musical Grease

 1979 – A ficção científica é marcada por Alien (Alien – O Oitavo Passageiro), de Ridley Scott.

  • Bob Fosse eterniza o gênero musical com All That Jazz (O Show Deve Continuar).

  • Meryl Streep ganha seu primeiro Oscar com Kramer vs. Kramer.

  • A guerra é retratada em Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola, com Marlon Brando e Robert Duvall.

  • Andrei Tarkovsky lança uma de suas obras mais aclamadas com Stalker, considerado um dos melhores filmes de todos os tempos.

 1980 – Muitos críticos estabeleceram o filme Raging Bull (no Brasil, Touro Indomável), do diretor ítalo-estadunidense Martin Scorsese como o marco inicial do estilo de fazer cinema que seria agregado pela grande maioria dos cineastas no decorrer desta década.

  • No mesmo ano, seriam lançados outros grandes filmes, a exemplo de The Elephant Man (O Homem-Elefante), com o estilo preto-e-branco de David Lynch e Ordinary People (Gente como a Gente), que deu a Robert Redford os Oscares de Melhor Filme e Direção.

  • Roman Polanski marca presença no início da década com seu aclamado Tess, e Brooke Shields se torna uma diva do cinema com The Blue Lagoon (A Lagoa Azul).

  • Stanley Kubrick dirige um dos filmes de terror mais aclamados de todos os tempos, o clássico The Shining (O Iluminado).

  • Matthew Broderick se torna o ídolo adolescente da década com Ferris Bueller’s Day Off.

  • Outros títulos importantes são: Star Wars Episode V – The Empire Strikes Back (O Império Contra-ataca); Superman II (Superman II – A Aventura Continua); Kagemusha (Kagemusha – A Sombra do Samurai), de Akira Kurosawa, e Coal Miner’s Daughter (O Destino Mudou Sua Vida), que premiou Sissy Spacek como Melhor Atriz de 1981,E tambem Gisilou a N9ª vez de um Cardalper

 1981 – O ano é marcado por Katharine Hepburn em On Golden Pond (Num Lago Dourado), que lhe rendeu mais um Oscar e também premiou Henry Fonda. O clássico tinha ainda Jane Fonda contracenando com seu pai na vida real.

  • Warren Beatty torna-se um astro ao dirigir Reds, com Jack Nicholson e Diane Keaton no elenco.

  • Hugh Hudson surpreende com Chariots of Fire (Carruagens de Fogo) e leva para casa o Oscar 1982 de Melhor Filme.

  • Outro destaque é Milos Forman, com Ragtime (Na Época do Ragtime), marcando a despedida do astro James Cagney do cinema.

  • O diretor Steven Spielberg lança o melhor blockbuster de todos os tempos com o personagem Indiana Jones em parceria com George Lucas, no filme Raiders of the Lost Ark (Os Caçadores da Arca Perdida), com Harrison Ford.

  • No Brasil, Pixote – A Lei do Mais Fraco incomoda a sociedade ao mostrar a realidade nua e crua das ruas do país.

  • Nesse o filme (Um Lobisomem Americano em Londres) Ganha o primeiro oscar de melhor maquiagem na cerimônia de 1982.

 1982 – O sueco Ingmar Bergman tem mais uma obra-prima reconhecida, Fanny och Alexander (Fanny & Alexandre). A versão original para a televisão tem 312 minutos.

  • Uma cinebiografia contagia a crítica especializada, e Ben Kingsley imortaliza a imagem de Gandhi na telona.

  • Steven Spielberg continua sua saga em Hollywood e apresenta um filme que marcará a infância das próximas gerações: E.T. the Extra-Terrestrial (E.T. – O Extra-terrestre), com cenas antológicas como a da bicicleta que voa sob a imagem da lua cheia. E também o filme 1999. Que em 2011 estreiou em 3D, onde um grupo de adolescentes pegam uma máquina do tempo que iria para o ano de 1999 mas depois acabam indo para o ano de 1947.

  • John Carpenter lança sua obra-prima de terror: O Enigma de Outro Mundo, clássico filme com Kurt Russell.

  • O ano é também de Dustin Hoffman na comédia Tootsie, filme de Sydney Pollack que deu a Jessica Lange o Oscar de Atriz Coadjuvante.

  • Os astros do passado fazem sucesso, com Jack Lemmon, Paul Newman e Peter O’Toole estrelando Missing (Desaparecido, um Grande Mistério), The Verdict (O Veredito) e My Favorite Year (Um Cara Muito Baratinado), respectivamente.

  • A musa Julie Andrews volta à cena com o musical Victor/Victoria (Vitor ou Vitória?), dirigido pela marido Blake Edwards.

  • Andrei Tarkovski dirige o seu primeiro filme internacional com Nostalgia.

  • A ficção científica nunca mais será a mesma depois do cult Blade Runner (Blade Runner – O Caçador de Andróides), de Ridley Scott, que, apesar do fracasso no lançamento, tornou-se um sucesso alguns anos depois.

  • Drew Barrymore faz sua estréia nas telas com E.T. the Extra-Terrestrial

  • Os estúdios Disney inovam na tecnologia eletrônica com Tron, o primeiro filme a produzir seqüencias inteiras em computação gráfica.

  • A CIC torna-se United International Pictures (UIP) com a entrada da MGM/UA como sócia no anterior. A United Artists havia sido incorporada à MGM.

 1983 – Brian De Palma sempre esteve à frente de seu tempo. É um diretor visionário, de vanguarda, um legítimo sucessor de Howard Hawks. E a prova disso vem com a estréia do polêmico (para não dizer mais) Scarface (Scarface ou A Força do Poder), com Al Pacino em seu mais impactante papel.

  • Em se tratando de cinema mais acessível, James L. Brooks entrega o clássico Terms of Endearment (Laços de Ternura), um drama sobre os laços afetivos que ligam os humanos, que premia Jack Nicholson e Shirley MacLaine no Oscar.

  • Glenn Close é uma agradável surpresa em The Big Chill, de Lawrence Kasdan.

  • Peter Yates dirige Albert Finney em The Dresser (O Fiel Camareiro). Finney é laureado com o Urso de Prata em Berlim.

  • The Right Stuff (Os Eleitos) mostra todo o talento de Philip Kaufman.

  • Mel Gibson faz parceria com Linda Hunt caracterizada como homem em The Year of Living Dangerously (O Ano que Vivemos em Perigo), mais um primor de Peter Weir.

  • O casal Woody Allen e Mia Farrow estão na comédia Zelig.

  • Star Wars Episode VI – Return of the Jedi o último episódio da fantástica saga.

 1984 – A vida de Wolfgang Amadeus Mozart é o tema de mais um grande filme de Milos Forman. Amadeus ganha nada menos que oito Oscares e mostra a dupla F. Murray Abraham e Tom Hulce encarnando uma história de ódio e morte.

  • O mestre David Lean, responsável, entre outros, por Lawrence of Arabia (Lawrence da Arábia) dirige seu último filme, A Passage to India (Passagem para a Índia), abordando de forma diferente o que já havia sido mote para o Gandhi de 1982.

  • Os dramas de The Killing Fields (Os Gritos do Silêncio), de Roland Joffé, e Places in the Heart (Um Lugar no Coração), de Robert Benton, também são unanimidade na crítica especializada e levam estatuetas.

  • Woody Allen repete o sucesso do ano anterior, agora com Broadway Danny Rose.

  • Steven Spielberg se consagra nesta década como um dos maiores diretores de todos os tempos.

  • O cinema juvenil ganha um legítimo representante, Karate Kid (Karatê Kid – A Hora da Verdade), com Pat Morita.

  • Tom Hanks chama a atenção pela primeira vez, com Splash (Splash – Uma Sereia em Minha Vida).

  • Steven Spielberg e Harrison Ford fazem o segundo Indiana Jones, um êxito semelhante ao do primeiro.

 1985 – A parceria de Steven Spielberg com Whoopi Goldberg resulta em um drama completamente adulto, algo inédito até então na carreira do diretor. The Color Purple (A Cor Púrpura), que trata de racismo, é um doloroso exercício de solidão, tristeza e paixão.

  • Peter Weir se une a Harrison Ford e alcança a glória com Witness (A Testemunha).

  • Os diretores internacionais Akira Kurosawa e Hector Babenco são indicados ao Oscar por Ran e Kiss of the Spider Woman (O Beijo da Mulher-aranha), respectivamente.

  • “Os Goonies” foi um filme produzido por Steven Spielberg e dirigido por Richard Donner(com Sean Astin e Josh Brolin no elenco) na época teve um grande sucesso

  • Sydney Pollack conquista a Academia com Out of Africa (Entre Dois Amores), que transforma Meryl Streep e Robert Redford em ícone dos casais românticos.

  • Claude Lanzman dirige um dos documentários mais aclamados de todos os tempos com Shoah, com 9 horas de duração

  • A despretensiosa ficção científica Cocoon, de Ron Howard é estrelada por atores já idosos, caso de Don Ameche (ganhador do Oscar de Ator

  • Coadjuvante) e Jessica Tandy, que voltava definitivamente à ativa.

  • O gênero ficção científica também faz sucesso com Back to the Future (De Volta Para o Futuro) e Brazil (Brazil – O Filme).

  • Woody Allen marca presença e homenageia o cinema com The Purple Rose of Cairo (A Rosa Púrpura do Cairo) e a Argentina ganha Oscar com La Historia Oficial.

  • Whoopi Goldberg conquista a critica com sua atuação em A Cor Púrpura (filme)

  • The Breakfast Club, de John Hughes, é considerado o clássico de filmes do ensino médio.

  • A Color System Technologies lança um sistema de colorização de filmes, comercializado por uma empresa de Ted Turner.

 1986 – A guerra do Vietnã continua sendo matéria-prima para os cineastas. Após Francis Ford Coppola filmar Apocalypse Now, é Oliver Stone que constrói um trágico retrato dos horrores do conflito em Platoon, que arrasa nas bilheterias.

  • É também o reconhecimento definitivo de Woody Allen que, com Hannah and Her Sisters (Hannah e Suas Irmãs), conquista o prêmio de Melhor Roteiro Original e o Globo de Ouro de Melhor Filme.

  • David Lynch torna-se cult com Blue Velvet (Veludo Azul), que transforma Isabella Rossellini em diva do cinema.

  • O acadêmico James Ivory adapta mais uma vez um livro de E. M. Forster, que resulta em A Room with a View (Uma Janela para o Amor).

  • Andrei Tarkovsky dirige seu último filme com O Sacrifício, o próprio morreu no mesmo ano de lançamento do filme.

  • Martin Scorsese dirige Paul Newman e Tom Cruise em The Color of Money (A Cor do Dinheiro). Francis Ford Coppola dirige Peggy Sue Got Married (Peggy Sue – Seu Passado a Espera), com Nicolas Cage, Kathleen Turner e Jim Carrey em início de carreira.

  • Sigourney Weaver retoma sua personagem em Aliens (Aliens – O Resgate) e Rob Reiner comove ao adaptar a mais sensível história de Stephen King, Stand by Me (Conta Comigo), com River Phoenix.

  • O psicopata Hannibal Lecter é levado pela primeira vez ao cinema na pele do ator Brian Cox, no ótimo Manhunter (Dragão Vermelho).

    Ferris Bueller’s Day Off, de John Hughes, é um clássico das comédias adolescentes[2], um filme “definitivo e insuperável no estilo”.

 1987 – Glenn Close e Michael Douglas filmam cenas antológicas no banheiro em Fatal Attraction (Atração Fatal), de Adrian Lyne.

  • O diretor italiano Bernardo Bertolucci, de O Último Tango em Paris, ganha nove Oscars ao transpor para as telas a saga do omperador chinês que, ainda adolescente, entra em conflito com comunistas e tem que reaprender a viver. The Last Emperor (O Último Imperador) tem no elenco predominantemente chinês o ator Peter O’Toole.

  • James L. Brooks retoma parceria com Jack Nicholson na comédia Broadcast News (Nos Bastidores da Notícia), que retrata o cotidiano do meio jornalístico.

  • Wim Wenders dirige o poético Asas do Desejo.

  • Stanley Kubrick entrega o clássico Full Metal Jacket (Nascido Para Matar).

  • Steven Spielberg cresce como diretor de dramas, com Empire of the Sun (Império do Sol).

  • Brian de Palma entrega mais um ótimo filme com The Untouchables (Os Intocáveis).

  • O cinema de entretenimento arrecada milhões com Robocop (Robocop – O Policial do Futuro), The Lost Boys (Os Garotos Perdidos), The Witches of Eastwick (As Bruxas de Eastwick) e Lethal Weapon (Máquina Mortífera).

  • Patrick Swayze e Jennifer Grey marcam uma geração com Dirty Dancing.

  • O gênero musical tem seu último representante dos anos 80 em Dirty Dancing (Ritmo Quente).

 1988 – O público dificilmente irá se esquecer das feições hipócritas de Glenn Close em Dangerous Liaisons (Ligações Perigosas), adaptação de Stephen Frears que trazia um trio invejável completado por John Malkovich e Michelle Pfeiffer.

  • A luta entre brancos e negros é o tema principal de Mississippi Burning (Mississipi em Chamas), filme forte de Alan Parker. A dupla do FBI era interpretada por Gene Hackman e Willem Dafoe.

  • O autismo é discutido abertamente em Rain Man, protagonizado por Tom Cruise e Dustin Hoffman. Além de vencer o Oscar, ganha o Urso de Ouro no Festival de Berlim.

  • A Igreja Católica protesta contra Martin Scorsese e The Last Temptation of Christ (A Última Tentação de Cristo). Atentados terroristas ocorrem em algumas salas de cinema por causa do conteúdo lascivo do filme.

  • Robert Zemeckis inova ao misturar gente de verdade com animação, em Who Framed Roger Rabbit? (Uma Cilada para Roger Rabbit), ganhador de três estatuetas técnicas.

  • Juliette Binoche e Daniel Day-Lewis atuam no sexy The Unbearable Lightness of Being (A Insustentável Leveza do Ser).

  • Com sua interpretação de um autista Dustin Hoffman conquista a critica.

  • Antes de ganhar o Oscar, Jonathan Demme inova com a comédia satírica Married to the Mob (De Caso Com a Máfia).

 1989 – Steven Soderbergh surpreende em sua estréia e vence o Festival de Cannes com um história de traição, Sex, Lies and Videotape (Sexo, Mentiras e Videotape).

  • Robin Williams emociona no filme de Peter Weir, Dead Poets Society (Sociedade dos Poetas Mortos).

  • Oliver Stone se redime com a obra-prima Born on the Fourth of July (Nascido em 4 de Julho), no qual Tom Cruise questiona a guerra do Vietnã.

  • O delicado drama Driving Miss Daisy (Conduzindo Miss Daisy) combate o preconceito e mostra como é possível a amizade entre brancos e negros. A atriz Jessica Tandy ganha o Oscar aos 80 anos.

  • Interpretando um deficiente mental em My Left Foot (Meu Pé Esquerdo), Daniel Day-Lewis também ganha o prêmio.

  • Michelle Pfeiffer canta sobre um piano em The Fabulous Baker Boys (Susie e os Baker Boys).

  • Spike Lee combate o racismo nos EUA em Do the Right Thing (Faça a Coisa Certa).

  • Nas bilheterias, os sucessos do terceiro Indiana Jones; de James Cameron, com The Abyss, de Richard Donner, com o segundo filme da saga Lethal

  • Weapon e Tim Burton com o primeiro Batman.

  • O grupo Warner Communications une-se à Time, Inc. e surge a maior companhia de mídia do mundo.

 1990 – Martin Scorsese mais uma vez inaugura a década, com seu grande sucesso Goodfellas (Os Bons Companheiros).

  • Demi Moore e Patrick Swayze vivem uma história de amor que ultrapassa os limites da vida, em Ghost (Ghost – Do Outro Lado da Vida), que dá a Whoopi Goldberg o Óscar como melhor atriz coadjuvante.

  • O ator Kevin Costner dirige um épico sobre os indígenas norte-americanos, Dance with Wolves (Dança com Lobos), ganhador de sete prêmios da Academia.

  • Francis Ford Coppola completa a magnífica trilogia O Poderoso Chefão, com The Godfather Part III (O Poderoso Chefão: Parte III).

  • Glenn Close e Jeremy Irons protagonizam Reversal of Fortune (O Reverso da Fortuna) e Robin Williams e Robert De Niro se encontram no tocante Awakenings (Tempo de Despertar).

  • Após entregar Dangerous Liaisons (Ligações Perigosas), Stephen Frears coloca Anjelica Huston e John Cusack como trapaceiros da pior espécie em The Grifters (Os Imorais).

  • Johnny Depp mostra seu talento em Edward Scissorhands (Edward Mãos de Tesoura) de Tim Burton, sendo indicado ao globo de ouro na categoria de Melhor Ator – Comédia/Musical.

 1991 – O ano é de Jodie Foster e Anthony Hopkins, que recebem Óscar por The Silence of the Lambs (O Silêncio dos Inocentes).

  • O diretor e roteirista Oliver Stone causa polêmica com JFK (JFK – A Pergunta que não Quer Calar) ao tocar diretamente no episódio mais intrigante da história norte-americana.

  • A Disney concretiza sua retomada com o musical de desenho animado Beauty and the Beast (A Bela e a Fera).

  • Ridley Scott faz de Geena Davis e Susan Sarandon uma das duplas mais marcantes do cinema, em Thelma and Louise, responsável também por tornar Brad Pitt famoso dentro e fora das telas.

  • Os irmãos Joel Coen e Ethan Coen fazem história no Festival de Cinema de Cannes com o filme Barton Fink (Barton Fink – Delírios de Hollywood).

  • Arnold Schwarzenegger interpreta um bom moço diferente em Terminator 2: Judgement Day (O Exterminador do Futuro 2), que provoca uma corrida em Hollywood por efeitos especiais cada vez mais aperfeiçoados.

  • Final Approach, de Eric Steven Stahl, primeiro filme inteiramente gravado com tecnologia de som digital.

 1992 – Michelle Pfeiffer encarna a Mulher-Gato em um uniforme colante e deixa o Batman de Michael Keaton apaixonado.

  • Graças a Whitney Houston ”The Bodyguard” se torna a trilha sonora de um filme mais vendida de todos os tempos.

  • Clint Eastwood retorna à boa forma com Unforgiven (Os Imperdoáveis), um faroeste com Morgan Freeman e Gene Hackman.

  • Al Pacino finalmente ganha um Oscar com Scent of a Woman (Perfume de Mulher).

  • Rob Reiner reúne um grande elenco, chefiado por Jack Nicholson, Tom Cruise e Demi Moore em A Few Good Man (Questão de Honra).

  • O acadêmico James Ivory dirige o drama inglês Howard’s End (Retorno a Howard’s End), vencedor de inúmeros prêmios.

  • O mestre Robert Altman faz uma viagem a Hollywood moderna em The Player (O Jogador), com Tim Robbins interpretando um executivo do cinema perseguido por um roteirista rejeitado. O ator e o diretor ganham os prêmios no Festival de Cannes.

  • Spike Lee e Denzel Washington trabalham juntos na biografia de Malcolm X.

  • Quentin Tarantino se lança com Reservoir Dogs (Cães de Aluguel) como diretor, roteirista e produtor.

  • Outro personagem histórico levado às telas é Chaplin, no filme de Richard Attenborough.

  • Neil Jordan obtem êxito com a obra independente The Crying Game (Traídos pelo Desejo).

  • Michelle Pfeiffer e Susan Sarandon entregam performances memoráveis em Love Field (As Barreiras do Amor) e Lorenzo’s Oil (O Óleo de Lorenzo), respectivamente.

  • Francis Ford Coppola adapta o clássico do terror em Bram Stoker’s Dracula (Drácula de Bram Stoker).

  • Sharon Stone cruza fatalmente as pernas em Basic Instinct (Instinto Selvagem) e se torna a nova musa loira de Hollywood.

 1993 – Macaulay Culkin se torna o maior astro mirim de todos os tempos.

  • Martin Scorsese dirige Michelle Pfeiffer, Winona Ryder e Daniel Day-Lewis em The Age of Innocence (A Época da Inocência).

  • Steven Spielberg finalmente alcança a glória com o emocionante Schindler’s List (A Lista de Schindler).

  • Jane Campion escreve e realiza The Piano, vencedor do Festival de Cannes.

  • Aos 11 anos, Anna Paquin se torna a segunda vencedora mais jovem do Oscar pelo seu papel em O Piano.

  • The Fugitive (O Fugitivo) traz duelo entre Harrison Ford e Tommy Lee Jones.

  • O acadêmico James Ivory dirige The Remains of the Day (Vestígios do Dia), com o mesmo elenco de Retorno a Howard’s End.

  • O livro de John Grisham The Pelican Brief (O Dossiê Pelicano) leva Julia Roberts a trabalhar com Alan J. Pakula.

  • Robert Altman aproveita boa fase com Short Cuts (Short Cuts – Cenas da Vida).

  • Jonathan Demme aborda a questão da SIDA (AIDS) em Filadélfia, com Tom Hanks e Denzel Washington.

  • O filme Groundhog Day (Feitiço do Tempo), que só foi reconhecido como um dos maiores clássicos de comédia do cinema americano uma década depois.

  • Contrapondo seu lado dramático, Steven Spielberg realiza proezas em Jurassic Park (Parque dos Dinossauros), o melhor filme dessa década e um divisor de águas no quesito efeitos especiais.

  • O diretor polonês Krzysztof Kieslowski iniciou a trilogia das cores com o ótimo A Liberdade é Azul, com Juliette Binoche como a protagonista e Emmanuelle Riva num papel de coadjuvante interpretando uma mãe enferma.

  • Steven Spielberg lança Jurassic Park com impressionantes efeitos especiais.

 1994 – Anna Paquin se torna a segunda pessoa mais jovem da história a ganhar o Oscar.

  • Quentin Tarantino torna-se um marco no cinema com Pulp Fiction (Tempo de Violência), que se torna objeto de estudo e culto de toda uma geração.

  • Robert Zemeckis revoluciona o uso de efeitos especiais em Forrest Gump (Forrest Gump – O Contador de Histórias), que alça Tom Hanks à condição de ídolo.

  • Tim Robbins e Morgan Freeman conquistam o público com o emocionante The Shawshank Redemption (Um Sonho de Liberdade), de Frank Darabont.

  • Joel Schumacher acerta ao adaptar The Client (O Cliente), com Susan Sarandon e Brad Renfro.

  • O estilo inglês de fazer comédias românticasconquista Hollywood e Four Weddings and a Funeral (Quatro Casamentos e um Funeral) ganha o Prêmio

  • César de melhor filme estrangeiro.

  • Tim Burton explora toda sua criatividade em Ed Wood com Johnny Depp no elenco, com fotografia em preto e branco e temática metalingüística.

  • Jim Carrey tem mil caretas em The Mask (O Máskara) e Keanu Reeves salva Sandra Bullock em Speed (Velocidade Máxima).

    (12 de outubro) Steven Spielberg, David Geffen (Geffen Records) e Jeffrey Katzenberg (ex-Disney) anunciam sua parceria para a criação de um novo estúdio, a Dream Works SKG.

 1995 – O cinema italiano repete o êxito de Nuovo Cinema Paradiso (Cinema Paradiso, 1988) e conquista Hollywood com o lirismo de Il Postino (O Carteiro e o Poeta), de Michael Radford.

  • Os efeitos especiais e o roteiro repleto de ternura fazem de Babe (Babe, o Porquinho Atrapalhado) o sucesso do ano.

  • Ron Howard junta Tom Hanks e Ed Harris no drama espacial Apollo 13 (Apollo 13 – Do Desastre ao Triunfo).

  • O diretor chinês Ang Lee estreia nos Estados Unidos com Sense and Sensibility (Razão e Sensibilidade).

  • Tim Robbins ataca na direção com Dead Man Walking (Os Últimos Passos de Um Homem), mas outro ator é eleito o melhor diretor: Mel Gibson, que conquista o Oscar com o épico Braveheart (Coração Valente).

  • Oliver Stone dirige Anthony Hopkins e Paul Sorvino na cinebiografia Nixon. Martin Scorsese retoma a parceria com Robert De Niro, desta vez acompanhado de Sharon Stone, em Casino (Cassino).

  • The Usual Suspects (Os Suspeitos) é o primeiro grande filme de Bryan Singer, deX-Men.

  • Woody Allen surge em boa forma com Mighty Aphrodite (Poderosa Afrodite).

  • Clueless (As Patricinhas de Beverly Hills/As Meninas de Beverly Hills), depois de uma década se torna um dos ‘novos clássicos’ americanos.

  • A Disney e a Pixar transformam animação digital em bom negócio com Toy Story.

 1996 – James Cameron bate recordes com Titanic.

  • Will Smith vira astro com Independence Day, que revoluciona os efeitos especiais.

  • Cameron Crowe prova ser um cineasta brilhante ao dirigir Tom Cruise no espetacular Jerry Maguire (Jerry Maguire – A Grande Virada).

  • Joel Coen e Ethan Coen demonstram sua genialidade com a obra-prima da comédia de humor negro Fargo, que premia Frances McDormand como melhor atriz.

  • Milos Forman está irreverente em The People vs. Larry Flynt (O Povo Contra Larry Flynt), sobre um episódio agitado da pornografia estadunidense.

  • Geoffrey Rush é o melhor ator por Shine (Brilhante), no papel de um grande pianista.

  • O inglês Mike Leigh é pemiado no Festival de Cannes pelo emocionante Secrets & Lies (Segredos e Mentiras).

  • Alan Parker coloca Madonna e Antonio Banderas no polêmico Evita.

  • O britânico Danny Boyle torna-se cult pelo independente Trainspotting (Trainspotting – Sem Limites).

 1997 – Joel Schumacher assina o mico do ano: Batman & Robin, que sepulta a cinessérie iniciada em 1989.

  • Com Titanic, James Cameron empata com Ben Hur em número máximo de Oscares (onze) e bate todos os recordes de bilheteria no mundo.

    Jack Nicholson retorna à boa forma com a comédia As Good as It Gets (Melhor é Impossível).

  • O cinema noir tem um exemplar contemporâneo com L.A. Confidential (Los Angeles – Cidade Proibida), com Kim Basinger e Russell Crowe.

  • Gus Van Sant dirige Matt Damon e Robin Williams em Good Will Hunting (Gênio Indomável).

  • Steven Spielberg retorna ao drama com Amistad, e os grandes Paul Thomas Anderson e Quentin Tarantino entregam Boogie Nights (Boogie Nights – Prazer Sem Limites) e Jackie Brown, respectivamente.

  • Woody Allen chega ao ápice de sua genialidade com Deconstructing Harry (Desconstruindo Harry) e Martin Scorsese foge do próprio estilo com Kundun.

  • O cinemão tem Contact (Contato), Face/Off (A Outra Face), Con Air (Con Air – A Rota da Fuga), Air Force One (Força Aérea Um) e Men in Black (MIB – Homens de Preto).

  • O Brasil desponta no cenário internacional com O Que É Isso, Companheiro?, indicado para o Oscar de melhor filme estrangeiro.

  • O francês Luc Besson cria o clássico da ficção científica moderna The Fifth Element (O Quinto Elemento).

  • Gloria Stuart retorna ao cinema em Titanic (1997) e se torna a pessoa mais velha indicada ao Oscar.

 1998 – A Inglaterra se lança como a “nova terra do cinema” e ganha o Oscar com Shakespeare in Love (Shakespeare Apaixonado), com a diva Judi Dench, e ainda tem outro representante de peso, Elizabeth, com Cate Blanchett.

  • Steven Spielberg retoma o tema da guerra com Saving Private Ryan (O Resgate do Soldado Ryan).

  • A Itália de Roberto Benigni conquista a Academia com La vita è bella (A Vida é Bela), enquanto o Brasil conquista o mundo com Central do Brasil, que ganha o Festival de Berlim e o Globo de Ouro, além de confirmar Fernanda Montenegro como a grande atriz da América Latina.

  • Ian McKellen e Brendan Fraser discutem homossexualidade no clássico Gods and Monsters (Deuses e Monstros).

  • Wesley Snipes interpreta o caçador de vampiros Blade, baseado nos HQs da Marvel, ganha duas continuações e abre as portas para novas adaptações de quadrinhos para o cinema, como X-Men, Homem Aranha e Quarteto Fantástico.

  • O remake de Asas do Desejo teve uma versão mais voltada para o romance com Cidade dos Anjos.

  • O melhor filme do ano veio do dinamarquês Thomas Vinterberg com o aclamado filme Festen, o melhor filme do movimento Dogma 95.

  • Lindsay Lohan faz sua estréia na comédia da Disney The Parent Trap (Operação Cupido).

 1999 – O ano é de Stanley Kubrick, que causou polêmica com o clássico Eyes Wide Shut (De Olhos Bem Fechados), que uniu Tom Cruise à sua esposa na época, Nicole Kidman.

  • O estreante Sam Mendes ganha o Oscar com American Beauty (Beleza Americana), com Kevin Spacey.

  • O diretor indiano M. Night Shyamalan revoluciona o gênero suspense com The Sixth Sense (O Sexto Sentido), que põe Bruce Willis no topo e revela Haley Joel Osment.

  • Paul Thomas Anderson (ou PT Anderson) entrega um longo filme sobre encontros casuais e acontecimentos fatídicos: Magnolia, com Tom Cruise,

  • Julianne Moore e Philip Seymour Hoffman.

  • Haley Joel Osment imortaliza para sempre a frase ”Eu vejo gente morta.”

  • Tim Burton e Johnny Depp voltam a trabalhar juntos em Sleepy Hollow (A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça).

  • Winona Ryder e Angelina Jolie falam sobre loucura de forma lúcida, em Girl, Interrupted (Garota, Interrompida).

  • Matrix das irmãs Wachowski revoluciona os efeitos especiais.

  • George Lucas retorna com a saga espacial de maior sucesso depois de 22 anos da estreia do primeiro filme da saga Star Wars.

  • Tony Kaye dirigi Edward Norton e Edward Furlong em A Outra História Americana.

  • David Fincher dirigi o polêmico filme Fight Club (Clube da Luta) com Brad Pitt e Edward Norton.

  • The Blair Witch Project (A Bruxa de Blair) se torna o filme com maior custo-beneficio da história do Cinema até o presente.

  • The Mummy (A Múmia) com Brendam Fraser arrecada grandes bilheteria nos cinemas mundias

  • American Pie (American Pie — A Primeira Vez é Inesquecível) comédia sobre sexo na adolescencia faz alta bilheteria no publico adolescente.

 2000 – Dancer in the Dark, vence a Palma de Ouro no Festival de Cannes.

  • Ridley Scott retorna à Roma antiga para contar a saga de Gladiator.

  • Ang Lee dirige Crouching Tiger, Hidden Dragon.

  • Wong Kar-Wai dirige o romance Fa Yeung Nin Wa.

  • X-Men se torna um dos precursores de uma nova geração de filmes baseados em heróis de histórias em quadrinhos.

  • O Grinch, comédia natalina estrelada por Jim Carrey, arrecada grande bilheteria mundial.

  • O Patriota, filme que conta a luta da independência americana, dirigido por Roland Emmerich e estrelado por Mel Gibson, é estreado.

 2001 – Spirited Away vence do Oscar de melhor animação.

  • David Lynch dirige Mulholland Drive

  • Michael Haneke dirige La Pianiste, vencedor do prêmio Melhor Atriz, Melhor Ator e Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes.

  • Peter Jackson lança The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring, que daria início à primeira saga cinematográfica baseada na obra de J.R.R. Tolkien.

  • É lançado Harry Potter and the Philosopher’s Stone, que daria início à atual segunda saga cinematográfica com maior bilheteria.

  • Ron Howard ganha o Óscar com a história real A Beautiful Mind.

 2002 – Martin Scorsese filma Gangs of New York, primeiro filme da parceria entre o diretor e Leonardo DiCaprio.

  • Roman Polanski dirige o drama sobre a Segunda Guerra Mundial, The Pianist.

  • Pedro Almodóvar dirige Hable con Ella.

  • A diretora e roteirista Nia Vardalos lança My Big Fat Greek Wedding.

  • É lançado Cidade de Deus (City of God), indicado a quatro Óscar e atualmente o filme brasileiro mais influente no exterior.

  • A comédia Le Fabuleux destin d’Amélie Poulain é lançada.

 2003 – Sofia Coppola dirige Lost in Translation.

  • Clint Eastwood lança Mystic River, que faz sucesso em torno de tema polêmico, a pedofilia.

  • A terceira parte da trilogia The Lord of The Rings, The Lord of the Rings: The Return of the King (O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei), ganha onze Óscar e se torna o segundo filme a passar a marca de 1 bilhão de dólares.

  • Johnny Depp estrela a aventura Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl .

  • O mexicano Alejandro González Iñárritu dirige 21 Grams.

  • A Pixar lança Finding Nemo.

 2004 – Clint Eastwood trabalha o delicado assunto da eutanásia em Million Dollar Baby.

  • Martin Scorsese dirige The Aviator.

  • É lançado Eternal Sunshine of the Spotless Mind, que fatura o Óscar de melhor roteiro original.

  • Mike Nichols dirige Julia Roberts e Natalie Portman em Closer.

  • Walter Salles realiza o road movie latino Diarios de Motocicleta.

 2005 – George Clooney ganha o Óscar de Melhor Ator por Syriana e dirige Good Night, and Good Luck.

  • Ang Lee dirige Brokeback Mountain.

  • Sandra Bullock e Matt Dillon estão em Crash, que vence a categoria máxima da Academia.

  • Steven Spielberg causa polêmica com Munique, sobre os atentados terroristas nas Olimpíadas de Munique.

  • Woody Allen dirige Match Point, com Scarlett Johansson.

  • Tom Cruise protagoniza War of the Worlds (Guerra dos Mundos), com Steven Spielberg como diretor, baseado no livro de mesmo nome do autor H.G. Wells.

 2006 – Natalie Portman e Hugo Weaving estrelam a adaptação dos quadrinhos de Alan Moore, V for Vendetta (V de Vingança), sobre uma Inglaterra futurista governada por tiranos.

  • Guillermo del Toro lança O Labirinto do Fauno, que lhe rendeu 3 prêmios das 6 indicações que o filme recebeu no Oscar e 1 indicação na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira no Globo de Ouro.

 2007 – David Lynch dirige Inland Empire.

  • David Fincher lança Zodíaco.

 2008 – Tim Burton dirige o musical Sweeney Todd.

  • Marion Cotillard ganha o Oscar de Melhor Atriz e se torna a primeira pessoa a vencer um Oscar por um filme em língua francesa por sua atuação em Piaf – Um Hino ao Amor.

  • Os Irmãos Coen dirigem o filme vencedor de diversos Oscar No Country for Old Men.

 2009 – Lars von Trier traz o polêmico Anticristo, o filme não foi muito bem recebido no Festival de Cannes, mas rendeu para a atriz Charlotte Gainsbourg o prêmio de Melhor Atriz no próprio, e um dos filmes da história do cinema que mais divide opinião.

  • Michael Haneke dirige Das Weisse Band, vencedor de Melhor Filme de Língua Estrangeira no Globo de Ouro e da Palma de Ouro no Festival de Cannes e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

  • Quentin Tarantino dirige Inglourious Basterds.

 2010 – Darren Aronofsky dirige Black Swan, drama psicológico que rendeu a atriz Natalie Portman o Oscar de Melhor Atriz.

  • Abbas Kiarostami entrega Copie Conforme que rendeu a Juliette Binoche o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes.

  • The Hurt Locker vence o Oscar de Melhor Filme. A DreamWorks Animation se torna o primeiro estúdio de animação a lançar três filmes animados de computador em um único ano: How to Train Your Dragon, Shrek para Sempre, Megamind. Despicable Me, o primeiro filme de Illumination Entertainment, é lançado. Toy Story 3 da Pixar se torna o primeiro filme de animação a ganhar US $ 1 bilhão de dólares em todo o mundo nas bilheterias.

 2011 – O Discurso do Rei vence o Oscar de Melhor Filme, além de outros 3 Prêmios da Academia. A saga Harry Potter chega ao fim nos cinemas, com Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2, se tornando a maior franquia de filmes da história até o momento.

  • A Árvore da Vida, de Terrence Malick, vence a Palma de Ouro no Festival de Cannes.

 2012 – O Artista vence o Oscar de Melhor Filme, além de outras 4 estatuetas.

  • O Universo Cinematográfico Marvel se estabelece definitivamente, com o lançamento de Os Vigadores, que assume a terceira maior bilheteria de toda a história do cinema na época.

  • A Saga Crepúsculo se encerra, com A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2.

  • Peter Jackson retorna para a direção de filmes sobre a Terra Média, com O Hobbit: Uma Jornada Inesperada.

  • É lançado Jogos Vorazes, filme que daria início a uma das franquias mais lucrativas da Lionsgate[12]. Amour, de Michael Haneke, vence a Palma de Ouro.

 2013 – Argo vence o Oscar de Melhor Filme, além do prêmio de Melhor Roteiro Adaptado.

  • Despicable Me 2 o primeiro filme de sequela produzido pela Illumination Entertainment é lançado e supera Shrek 2 como o terceiro filme de animação de maior bilheteria da época.

  • Frozen, considerado pela crítica como o melhor filme da Disney atualmente e atual nona maior bilheteria da história do cinema, é lançado.

  • Homem de Ferro 3, atual décima maior bilheteria da história do cinema, é lançado.

  • O Universo Estendido DC é iniciado, com Homem de Aço. Azul é A Cor Mais Quente vence a Palma de Ouro.

 2014 – 12 Anos de Escravidão vence o Oscar de Melhor Filme, além outras duas estatuetas.

  • A franquia O Hobbit é encerrada, com O Hobbit: A Batalha dos 5 Exércitos.

  • São anunciados diversos Universos Compartilhados, pelas maiores produtoras de Hollywood.

  • Transformers: A Era da Extinção se torna a maior bilheteria do ano.

  • O Filme Lego, o primeiro filme de Warner Animation Group, é lançado.

  • O Universo Cinematográfico Marvel supera a franquia Harry Potter nas bilheterias norte-americanas, com Capitão América 2: O Soldado Invernal.

  • Winter Sleep vence a Palma de Ouro[24].

 2015 – Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) vence o Oscar de Melhor Filme, além de outras 3 estatuetas.

  • A franquia Jurassic Park é revivida com Jurassic World, atual quarta maior bilheteria da história do cinema.

  • Velozes e Furiosos 7 se torna a atual sexta maior bilheteria da história do cinema.

  • Vingadores: Era de Ultron se torna a sétima maior bilheteria da história do cinema.

  • Minions torna-se o terceiro filme de animação a faturar US $ 1 bilhão em todo o mundo.

  • A Pixar volta a produzir filmes originais após 3 anos produzindo somente continuações, com Divertida Mente.

  • A franquia Star Wars retorna aos cinemas, com Star Wars: O Despertar da Força, atual terceira maior bilheteria da história do cinema e um dos únicos três filmes a ultrapassar a barreira de 2 bilhões de dólares[15]. Os Dez Mandamentos, filme com maior audiência no Brasil, é lançado.

  • Dheepan vence a Palma de Ouro.


10 Melhores Filmes (Críticos de Arte)

01 – Cidadão Kane
02 – O Poderoso Chefão
03 – Casablanca
04 – Boyhood: Da Infância à Juventude
05 – A Fraternidade é Vermelha
06 – Cantando na Chuva
07 – Moonlight: Sob a Luz do Luar
08 – O Labirinto do Fauno
09 – Basquete Blues
10 – Meu Pé Esquerdo


10 Melhores Filmes (por Hollywood)

01. O Poderoso Chefão (1972)
02. O Mágico de Oz (1939)
03. Cidadão Kane (1941)
04. Um Sonho de Liberdade (1994)
05. Pulp Fiction – Tempo de Violência (1994)
06. Casablanca (1942)
07. O Poderoso Chefão 2 (1974)
08. E.T. – O Extraterrestre (1982)
09. 2001: Uma Odisseia no Espaço (1968)
10. A Lista de Schindler (1993)


10 Melhores Bilheterias de Todos os Tempos

01 – Avatar – US$ 2,7 bilhões
02 – Titanic – US$ 2,1 bilhões
03 – Star Wars: O Despertar da Força – US$ 2,06 bilhões
04 – Vingadores: Guerra Infinita – US$ 2,04 bilhões
05 – Jurassic World – US$ 1,6 bilhões
06 – Os Vingadores – US$ 1,518 bilhões
07 – Velozes e Furiosos 7 – US$ 1,516 bilhões
08 – Vingadores: Era de Ultron – US$ 1,4 bilhões
09 – Pantera Negra – US$ 1,346 bilhões
10 – Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 – US$ 1,341 bilhões