banfil1.gif (18740 bytes)

notasprod_1.gif (2071 bytes)

Spirit - O Corcel Indomável


webc5183.jpg (16003 bytes)O mais novo filme de animação da DreamWorks Pictures mostra que aquilo que é considerado hoje animação tradicional é tudo, menos algo tradicional. O advento do computador na animação revolucionou o gênero, inaugurando filmes totalmente animados por computador, como o vencedor do Oscar do ano passado SHREK. Entretanto, o computador também causou um grande impacto em 2D, ou naquilo que conhecemos como animação tradicional. A prova disso é o fato surpreendente de que, por todas as suas qualidades de desenho, SPIRIT - O CORCEL INDOMÁVEL é o filme de animação da DreamWorks tecnologicamente mais complexo. Apesar de o mouse ter se tornado uma das ferramentas mais importantes dos animadores, o Produtor Jeffrey Katzenberg (SHREK, A FUGA DAS GALINHAS, O PRÍNCIPE DO EGITO, O CAMINHO PARA ELDORADO) é rápido em observar que nenhum computador pode nem devia substituir as mãos artísticas que tornam única a animação tradicional: "Não há nada parecido no mundo. É como a diferença entre receber um e-mail e uma carta escrita a mão. É pessoal e intimista. É a criação direta da vida através de um lápis sobre um pedaço de papel. Os computadores ainda não podem fazer isso". Ele continua: "Quis combinar animação feita a mão com tecnologia de última geração para criar o melhor filme nessas duas áreas, resultando numa espécie de reinvenção da animação tradicional, que chamei de animação 'tradigital'".

SPIRIT - O CORCEL INDOMÁVEL é o primeiro filme animado tradicionalmente a incorporar 3D ou elementos animados por computador. Aqui, os personagens principais, incluindo Spirit, são, às vezes, animados por computador, dependendo da necessidade da tomada - o que, nos filmes 2D, cabia apenas aos personagens que serviam de pano de fundo, os extras. Há transições tão imperceptíveis de uma técnica para outra envolvendo um único personagem em uma única cena que ninguém, além de um animador experiente, poderia perceber. Seja em 2D ou 3D, cavalos são conhecidos pela dificuldade de serem desenhados e, principalmente, animados, e é por isso que SPIRIT - O CORCEL INDOMÁVEL é o primeiro filme de animação a apresentar um cavalo no papel central. Para aumentar o desafio, os cavalos do filme não falam, como observa o Produtor Jeffrey Katzenberg: "Queríamos quebrar todas as regras, a começar pelo fato de um filme ser contado através dos olhos de um cavalo. Nenhum animal ali fala". A Diretora Kelly Asbury, veterana há 19 anos na animação e que faz a sua estréia de direção em SPIRIT - O CORCEL INDOMÁVEL, lembra: "Percebemos que no instante em que um cavalo falasse, teríamos uma comédia. Assim, a escolha foi tornar os animais mais naturais e lhes permitir que se expressassem através da animação".

Apesar de não haver diálogos entre os animais e pouca fala por parte dos personagens humanos, ainda assim houve um roteiro, escrito por John Fusco (JOVEM DEMAIS PARA MORRER, CORAÇÃO DE TROVÃO, CROSSROADS - ENTRE AMIGAS). A Produtora Mireille Soria (PARA SEMPRE CINDERELLA) lembra: "John foi perfeito para este projeto porque, além de ter escrito filmes sobre o Velho Oeste, ele também é proprietário de mustangues e membro honorário da Tribo Oglala-Lakota. O que ele escreveu foi um romance, e isso ajudou muito os artistas a perceberem toda a grandiosidade do Velho Oeste e o significado da liberdade. Spirit é uma inspiração real porque ele nunca esquece quem é nem o que é importante para ele. Esse é um dos principais temas da história: não importa o que aconteça na sua vida: se não permitir que isso supere você, só irá torná-lo mais forte". O Roteirista John Fusco, que se inspirou nos 22 mustangues que vivem em sua fazenda na Nova Inglaterra, atesta: "A partir de uma descrição básica, levei Spirit a uma viagem de vida através das planícies, passando pela escravidão na Cavalaria e pelo mundo dos americanos nativos. Esse cavalo nos mostra as mudanças do Velho Oeste com a chegada da estrada de ferro - considerada o ponto final dos dias de liberdade da fronteira. Há também temas que ressoam nos dias atuais - principalmente neste momento da história americana -, como o de nunca deixarmos que ninguém dome o nosso espírito". A Diretora Kelly Asbury concorda: "Sempre achei que este filme tinha temas fortes apesar da época e do local em que se passa. E, agora, mais do que nunca, como o valor da liberdade e as nossas ligações com o nosso lar e com aqueles que amamos. É uma história com vários temas: amor, coragem, lealdade à família e, principalmente, o da liberdade, que é um direito que todos nós adquirimos ao nascer e pelo qual vale a pena lutar".

Os animadores também se beneficiaram com a expertise de duas das mais respeitadas autoridades em cavalos do mundo, a Dra. Deb Bennett e o Dr. Stuart Sumida, que serviram de consultores do filme e que envolveram a equipe num programa de treinamento para ensiná-los tudo sobre o interior e o exterior desses animais. "Era importante fazê-los respeitar a inteligência, as emoções e sentimentos desses bichos, que também são muito curiosos e extremamente honestos. Eles têm formas de transmitir o que se passa em seu interior e de como irão reagir. Era importante que os animadores fossem capazes de 'ler' um cavalo para depois poderem passar a informação para a tela", justifica Deb Bennet. Essa habilidade foi fundamental para o Supervisor Senior de Animação James Baxter (O CAMINHO PARA EL DORADO, O PRÍNCIPE DO EGITO, A BELA E A FERA, O REI LEÃO, O CORCUNDA DE NOTRE DAME, A PEQUENA SEREIA) e a equipe que trabalhou em Spirit, esse personagem que aparece em todas as cenas do filme e cujas emoções vão da alegria e da liberdade ao desespero da captura e ao desafio de ser domado. "Há algo maravilhoso no personagem de Spirit. Ele consegue enfrentar várias obstáculos e tribulações sem perder a sua força e coragem. Ele tem uma habilidade extraordinária de superar a adversidade. Ele veio de um lugar ideal - o próprio paraíso na Terra para os cavalos -, mas é capturado e jogado num jornada de perseverança e auto-descoberta que nunca havia imaginado enfrentar. Às vezes, são essas coisas inesperadas na vida que nos ensinam", conta a Diretora Kelly Asbury.

SPIRIT - O CORCEL INDOMÁVEL foi rodado com todas as intenções e objetivos de um filme mudo, com a narração, música e canções gravadas depois que a animação estivesse completa. Kelly Asbury explica: "Decidimos contar a história visualmente. A pequena quantidade de narração ou de diálogo foi cuidadosamente selecionada para os momentos-chave do filme de forma a dar apoio à história, com a mesma função daqueles cartões-legendas da época dos filmes mudos". O ator Matt Damon (O RESGATE DO SOLDADO RYAN, GÊNIO INDOMÁVEL, CORAGEM SOB FOGO, O HOMEM QUE FAZIA CHOVER, O TALENTOSO RIPLEY, ONZE HOMENS E UM SEGREDO, DOGMA, LENDAS DA VIDA) fornece a narração em primeira pessoa para o personagem de Spirit em momentos cruciais da história. A Diretora Kelly Asbury observa: "Foi uma longa busca até encontrarmos a voz certa. Damon acrescentou uma dinâmica inestimável ao personagem". Enquanto os realizadores usam uma narração bem limitada para comunicar o que Spirit está pensando, o que ele sente é expresso através das canções do músico por Bryan Adams (ROBIN HOOD - O PRÍNCIPE DOS LADRÕES, DON JUAN DEMARCO, O ESPELHO TEM DUAS FACES), que tem um estilo cheio de emoção, e da música de Hans Zimmer (GLADIADOR, O REI LEÃO, O PRÍNCIPE DO EGITO, ALÉM DA LINHA VERMELHA, MELHOR É IMPOSSÍVEL, RAIN MANPEARL HARBOR, HANNIBAL, CONDUZINDO MISS DAISY). As trilhas e as músicas são inseparáveis em SPIRIT - O CORCEL INDOMÁVEL apesar de Hans Zimmer - em Los Angeles - e Bryan Adams - em turnê - terem trabalhado praticamente separados pelo tempo e pela distância neste filme. Os dois adotaram um método bastante incomum, como conta Hans Zimmer: "Escrevíamos pelo telefone, usando nossas secretárias eletrônicas para deixarmos gravado as inspirações que cada um ia tendo. Foi um jeito muito louco e, ao mesmo tempo, divertido".

webc5184.jpg (16475 bytes)O paralelo de "duas pernas" desse cavalo poderoso e que não pode ser domesticado é Pequeno Rio, um jovem índio selvagem pronto para brigar. Daniel Studi, o jovem ator nativo americano, descendente de cherokees, deu informações valiosas sobre os modos e a linguagem de seu personagem, o que propiciou autenticidade ao papel. Para enfrentar toda essa valentia, os realizadores escolheram o ator veterano James Cromwell (A FILHA DO GENERAL, BABE - O PORQUINHO ATRAPALHADO, IMPACTO PROFUNDO, JORNADA NAS ESTRELAS - PRIMEIRO CONTATO, O POVO CONTRA LARRY FLYNT, A EXPERIÊNCIA) para fornecer a voz do Coronel da Cavalaria que tenta, a todo custo, montar esse cavalo selvagem. O produtor Katzenberg conclui: "De várias formas, esta história é uma alegoria para todos nós, principalmente nos dias de hoje, em que os desafios nos são impostos quando menos esperamos. Porém, acima de tudo, SPIRIT - O CORCEL INDOMÁVEL é pura diversão. O filme tem aventura, humor, suspense, romance… É a clássica jornada de um herói - só que o herói aqui é um cavalo".


voltar.gif


transp.gif (45 bytes)